fbpx

Convizinhas

Silvia Federici me inspirou para pensar essa curadoria, uma seleção para valorizar a partilha e as histórias que são tecidas na construção desses novos olhares e na arquitetura de novas possibilidades de futuro. A autora mostra como o termo fofoca, originalmente usado para designar amizade e afeto, ao longo da história, foi sendo deturpado e deteriorado até chegarmos na definição atual de fofoca e conversa fútil. Uma conversa de mulher. Uma história semântica que traduz, mais uma vez, a alienação imposta às mulheres. Fruto de um projeto misógino que deseja que elas estejam longe dos lugares onde as decisões são tomadas, que não tenham gerência sobre suas experiências e que mantenham esse estereótipo de futilidade e inutilidade.

“Narrar a história das palavras que são frequentemente usadas para definir e degradar as mulheres é um passo necessário para compreender como a opressão de gênero funciona e se reproduz. A história do termo “gossip” [atualmente traduzido como “fofoca”] é emblemática nesse contexto. Por meio dela, podemos acompanhar dois séculos de ataques contra as mulheres no nascimento da Inglaterra moderna, quando uma expressão que usualmente aludia a uma amiga próxima se transformou em um termo que significava uma conversa fútil, maledicente, isto é uma conversa que provavelmente semearia a discórdia, o oposto da solidariedade que a amizade entre mulheres implica e produz. Imputar um sentido depreciativo a uma palavra que indicava amizade entre as mulheres ajudou a destruir a sociabilidade feminina que prevaleceu na Idade Média, quando a maioria das atividades executadas pelas mulheres era de natureza coletiva e, ao menos nas classes baixas, as mulheres formavam uma comunidade coesa que era a causa de uma força sem-par na era moderna.”

Silvia Federici em A História Oculta da Fofoca – mulheres, caça às bruxas e resistência ao patriarcado

Essa seleção vai contemplar conteúdos online, representando possibilidades sem fronteiras. O abeirar-se, o aproximar-se usando a tecnologia a nosso favor. Para as mulheres que vivem em outros cantos do planeta ou para você que quer participar dessa rede, desses encontros, sem a necessidade de receber uma caixa física no seu endereço.